Depoimento sobre pais separados.



Me pergunto como é ser filho de pais separados, pois mesmo quando os meus pais estavam juntos, tinha a sensação de que estavam separados. É como se dentro de mim eu soubesse que aquilo nunca daria certo. Crianças costumam ter diversas lembranças felizes sobre a infância, sobre momentos com a família, mas comigo essa realidade é diferente. A minha lembrança mais feliz da infância, foi do dia em que finalmente após a separação, o meu pai foi embora. Calma, não fique triste por mim, eu realmente estava radiante naquele dia, logo você entenderá o porque.
Sou fruto de uma gravidez na adolescência, minha mãe se casou assim que completou dezesseis anos e logo em seguida eu nasci. Ela sempre cuidou muito bem de mim, trabalhou e fez tudo o que pode para que eu fosse a mulher que sou hoje, mas o meu pai sempre foi mais distante, nunca foi apegado comigo ou se importava, pelo menos não que demonstrasse amor forte, incondicional. Quando tinha meses, se não me engano dois, a mãe dele e a irmã o levaram para a primeira balada sozinho, deste dia em diante nossa vida virou um inferno. Ele deixou a esposa recém casada de apenas dezesseis anos e um bebê de dois sozinhas em casa, nem mesmo levou a chave. Por isso, minha mãe trancou toda a casa e tentou esperar por ele, mas acabou adormecendo. Ele chegou bêbado, pulou o muro e por que a casa estava trancada a agrediu, depois disso fomos morar por alguns dias com o irmão mais velho da minha mãe. Estou contanto isso para vocês terem a noção do quando a saída dele de casa me marcou, me fez feliz, pois tinha certeza que poderíamos viver em paz. Após isso ele sempre bebeu, se tornou alcoólatra e eu nem mesmo o via mais. Saía cedo para trabalhar, chegava de madrugada. O via apenas aos domingos, quando ele saia mais cedo do trabalho, ia para o bar e chegava por volta de oito e meia da noite em casa, já no meu horário de dormir. Se deitava no tapete da sala, na segunda-feira levantava e voltava para a rotina semanal de trabalho, bar e casa. Ele fazia muitas dividas, então minha mãe trabalha muito para poder cuidar de mim. Quem a ajudava era a mãe dele, ajudava no sentindo de cuidar de mim, apenas ela. Pra ajudar, quando bebê ficava muito internada, na verdade era muito doente até os meus oito anos, aproximadamente. Minha mãe sempre dizia que em algum momento ela iria se separar dele, mas apenas no momento em que tivesse certeza que poderia cuidar de mim sozinha.
Naquele tempo não pagávamos aluguel, pois morávamos em uma casa da mãe do meu pai, e ele colocava comida em casa, o restante ele gastava no bar. Quem arcava com todas as outras contas era a minha mãe, e quando ficava pra ele pagar algo? Bom, várias vezes chegamos em casa e a nossa era a única escura da rua, a única sem água, pois ele não pagava as contas. Ah, você deve estar se perguntando quantos anos ele tinha? Ele e minha mãe tem uma diferença de sete anos, se não me engano. 
O tempo foi passando, fui crescendo e cada vez mais tendo a certeza de que tudo isso um dia iria passar, e no dia que passou, foi o dia mais feliz da minha infância. Não vou contar todos os detalhes da minha vida, ou o texto ficaria muito longo e para muitos, triste. Só quero mostrar a realidade que vivi, para abrir o assunto da minha pós separação. 
Meu pai nunca foi presente ou cuidou de mim, após a separação ele foi morar com a mãe dele e eu ainda tentei me aproximar, mas em anos ele me forçou a ir uma vez na igreja a qual ele se converteu e outra no mesmo dia, ao club para nadar. Acabei indo, foi a única vez em que ele me chamou para fazer algo, apenas para me apresentar e mostrar aos "amigos", depois disso nunca mais. Teve uma namorada, com quem teve um filho, onde só fiquei sabendo da existência após a criança ter um mês de idade, por uma estranha no salão da minha mãe. Me digam, isso é amor? isso é indiferença, além de todo o desprezo.
Feliz aniversário, natal, feliz ano novo ou qualquer data comemorativa? Nunca recebi, raramente um feliz aniversário dias após a data de verdade.
O pior de tudo, é você saber que a pessoa esta lá, mas que ela te despreza. Lidar com a morte, por mais que doa profundamente é melhor. Quando a pessoa esta morta, você não precisa sofrer esperando algo dela, não tem o que esperar, não tem o que sentir, além disso, ela não irá mais te machucar. No meu caso, lido com o desprezo e humilhações da parte dele uma vida inteira. Não tem como você amar, como querer por perto alguém assim. É como nadar contra uma correnteza infinita, onde nem mesmo há margem ou qualquer forma para pedir socorro. Chega uma hora que precisamos saber o momento de parar, respirar, descansar e seguir em frente. 
Desde o dia em que ele foi embora tudo mudou para melhor, mesmo que o carro tenha sido vendido, mais tarde a moto, mudamos de uma casa grande para dois cômodos e tudo mais, a vida nunca foi tão bela. As coisas prosperarão aos poucos, hoje a filha de uma manicure que a criou sozinha, cursa Direito por puro esforço próprio, me orgulho muito disso. 
Acabaram as brigas, acabaram os tormentos, as humilhações da minha avó quando cuidava de mim, ou qualquer energia ruim. Claro, ainda levou tempo para eles pararem de tentar nos prejudicar de inúmeras formas, mas a justiça foi cumprida. 
A sensação que tenho é que ele apenas contribuiu para a minha existência, mas não há amor, não tem sentimentos, nem mesmo uma curiosidade de saber se estou viva. Mas após anos lidando com o desprezo, posso dizer que isso não me afeta mais, não me abala mais, pois eu sou feliz e cercada de amor por todos os lados. 
Não sinto falta de uma presença ou figura paterna, pois sempre tive o meu avô neste papel, como o meu exemplo e não a cuidar de mim, hoje tenho o meu padrasto, que é o meu pai com todas as letras, cores e amores. Eu sei  o que é ser filha, o que é ser irmã mais nova, pelo filho do meu padrasto, sei o que é ter carinho, amor, respeito e cuidado. 
As vezes quando passamos por algo tão conturbador, não temos noção de que coisas tão boas estão destinadas a acontecer, mas fique tranquilo, coisas boas acontecem. Nem sempre quando a gente quer, no momento em que desejamos, mas elas vem. Aos poucos as feridas do nosso peito se fecham, a luz volta a brilhar nos nossos olhos, e o sorriso surge de forma espontânea. Ai sabemos onde é realmente o nosso lar. Esse não é um texto fictício, não é uma inspiração. Essa é a minha história.

Thaís Ferreira

You May Also Like

44 comentários

  1. Great post!

    You have a nice blog!

    Would you like to follow each other? Let me know on my blog.

    Have a great day!

    xoxo Jacqueline
    www.hokis1981.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. Fico muito feliz com isso, de verdade. Feliz em saber que consegui transmitir meus sentimentos de verdade, neste texto!

      Excluir
  3. Oi Thaís, tudo bem?

    Fui lendo seu texto e uma lágrima foi caindo seguida de outra. Compartilho das mesmas dúvidas e emoções que você em relação a pais separados, pois vi de perto a relação dos meus ir por água a baixo e os filhos, com toda certeza, são a parte que mais sofrem! Parabéns pelo texto e por conseguir me emocionar!

    Beijos,

    Gnoma Leitora

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu que te agradeço com ter lido, por compartilhar isso comigo e com todos aqui no blog, de verdade! Não imagina o tamanho da minha emoção e da minha gratidão ao ler isso! Muito obrigada, mesmo!

      Excluir
  4. Ai, Thaís, sinto muito que sua relação com o seu pai tenha sido assim. Mas imagino que a sensação de liberdade quando ele foi embora tenha sido ótima. Acho que isso só te ajuda a te fortalecer e encarar os obstáculos mais forte. Deve ter sido muito difícil pra vocês, mas agora você com certeza é uma vencedora, conquistando tudo com teu esforço ^_^ Fico feliz que tenha compartilhado com a gente! :)

    Beijo!
    http://tipsnconfessions.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo comentário, realmente, a sensação de liberdade no momento que vi ele indo embora foi a melhor que já senti e compensou tudo. Feliz fico eu com o carinho de vocês!

      Excluir
  5. Beautiful post.Thanks for sharing and have a lovely weekend.

    ResponderExcluir
  6. Nossa Thaís...
    Vim retribuir sua visita e dei de cara com um post desse...
    Não adianta eu falar que te entendo 100% pois não passei nem perto do que você passou, meus pais são casados 43 anos, meu pai sempre foi um pai presente, ele é mais fechado, não é de dar muito carinho, mas é o jeitinho dele, quando se emociona enche os olhos de lágrimas...
    Mas sua situação é diferente, tento entender e consigo quando fala que as vezes é melhor separados, liberdade para serem felizes... Muitos casamentos mantem por uma sociedade ou por um filho que as vezes ficará bem melhor com pais separados...
    Fico feliz que hoje você consegue dividir essa história aqui no blog...

    Beijinhos!
    https://laresmeraldafeliz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. " Muitos casamentos mantem por uma sociedade ou por um filho que as vezes ficará bem melhor com pais separados..." Concordo, e no fim ninguém é feliz :/

      Excluir
  7. Que texto sensacional, já senti isso na relação dos meus pais, mais eles estão juntos até hoje. ❤

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os meus não, foi a melhor coisa que já me aconteceu...

      Excluir
  8. Que texto lindo e emocionante..O importante é ter forças para lutar sempre..

    Dani Ramos
    http://donaengenhosa.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, nunca desistir e sempre seguir em frente

      Excluir
  9. Minha nossa, esse texto consegue entrar no intimo da pessoa. Eu sinto muito por tudo o que aconteceu, mesmo sabendo que você está feliz hoje, mesmo sabendo que quando seu pai foi você ficou feliz, ninguém no mundo deveria passar por isso.
    Coisas ruins acontecem para as boas valerem a pena, você ainda será muito feliz em sua vida <3

    Born in 1996

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, e as vezes olhando a vida de outras pessoas, tudo o que vivi parece ser tão pequeno...

      Excluir
  10. O seu texto me fez lembrar de uma amiga que até hoje não consegue lidar com a separação dos pais, o seu caso é muito diferente do dela, mas o sentimento é praticamente o mesmo. Que bom que você não sente a falta de um pai, pelo amor que recebeu do seu avô. Mas quando você se sentir só, lembre-se que você pode conhecer um outro Pai maravilhoso, que vai te receber de braços abertos: Deus. Minha linda, você vai ser muito feliz!

    Beijos,
    www.coisasdepriscila.com l Fan Page l Instagram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, acho que nem tanto pelo amor, mas sempre tive uma figura masculina, paterna para olhar. Hoje eu tenho o meu padrasto, que é o melhor pai que Deus poderia ter me dado nessa vida... Amém, muito obrigada! beijos <3

      Excluir
  11. Que texto!! Meus olhos até encheram de lágrimas ao ler...
    Meu pai também foi alcóolatra, eu não cheguei á viver isso, foi antes de eu nascer. Mas minha mãe e meus irmãos sofreram MUITO com isso.
    Minha mãe é uma verdadeira guerreira, tenho muito orgulho dela. Meu pai melhorou, não bebe mais graças á Deus. É outra pessoa.
    Porém meu irmão mais velho é drogrado, alcóolatra e uma péssima pessoa.
    Passa muita tristeza com ele, mas tenho fé que um dia isso vai acabar e ele vai nos deixar em paz.
    Todo dia espero que ele não volte e nos deixe livre, e sei que esse dia chegará, amém!
    Ah, fico muito feliz que hoje você e sua mãe podem viver bem e parabéns pelo curso de Direito, muito sucesso pra você!

    https://heyimwiththeband.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sinto muito pelo seu irmão, sinto muito pela sua família passar por tudo isso. Atualmente o meu pai não bebe mais também, mas somente isso mudou, afinal, parar de beber não muda carater da pessoa e muito menos quem ela é... Muito obrigada, eu estou amando o curso <3
      Espero que o seu irmão tome outros caminhos e deixe tudo isso pra tras, e que vocês tenham finalmente paz. Um beijo!

      Excluir
  12. Adorei o post, me fez pensar muito sobre o tema! Parabéns!

    http://ponyrandom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Me identifico, meus pais são separado...

    Beijão ;*


    http://isabellalessa.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz e triste ao mesmo tempo por se identificar, um beijo!

      Excluir
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  15. Meu Deus. Vim te retribuir sua passadinha em meu humilde blog e me deparo com um texto tão profundo, tão cheio de emoções. Não tem como falar que te entendo. Mas faço idéia. Meu pai brincava comigo e minha mãe...sempre me deixou de lado. Quando fiz quatorze, meu pai se afastou. Pois ele não sabia como lidar com uma adolescente. Até hoje, com netos no colo ele é distante e minha mãe...só liga pro meu filho e a neta é esquecida.
    Eu...tento dar muito amor a meus filhos e sempre digo pra meu marido os amar acima de tudo. Não quero que eles passem pelo que passei. O mais importante é encher os dois de muito amor.
    Adorei seu post e chorei muito lendo. Mas é como falou, você e sua mãe são vencedoras. Nunca desistam.

    http://renatacaline.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu Deus, não consigo nem imaginar o quanto deve ser difícil pra você, mas tenho certeza que você os nutri com muito amor!Muito obrigada pelo carinho <3

      Excluir
  16. Esse sentimento de que as pessoas podem simplesmente gerar outras e não contribuir de forma alguma com amor e dedicação é muito revoltante, né? Eu acho que isso, quando acontece, parte 90% por parte dos pais, eles são tão distantes ou realmente somem depois de saber da responsabilidade. Porque tudo sempre fica pras mulheres? Isso me irrita muito, é como se o aborto ou abandono por parte do pai fosse super aceita pela sociedade, porque quem tem a "culpa" e "responsabilidade" é a mulher ¬¬ Achei bem bacana tu compartilhares teu sentimentos conosco, além da sua história. É tão bom ter um blog e pode ser se expressar assim, né?


    Beijos
    Brilho de Aluguel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É ótimo, é muito bom poder se abrir e compartilhar isso com outras pessoas! Muito obrigada pelo comentário e pelo carinho! Beijos

      Excluir
  17. texto emocionante!!! bjs
    lanibelezafeminina.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  18. Emocionante sua história! Meus pais se separaram quando eu tinha 12 anos...não me lembro muito bem o dia...mas eu continuei sendo feliz como eu era antes!!!Pelo que me lembro eu meus irmãos não sofremos com isso! Nuca perdemos o contato com meu pai vivemos muito bem!

    Cada família um história né!
    beijão e obrigada pela visita e comentário!
    Beijinhos,

    http://issoeoqueamo.blogspot.com.br/
    @vocevaiamar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, fico muito feliz por vocês! De verdade!

      Excluir
  19. Nossa gata que emocionante deve ser bem dificil mais ja normal para muitas pessoas adorei fico completo parabens!
    Fica com deus sua linda juizo no corpo e na alma,
    Um beijo da Ju Margarida.
    Ei venha me ver mais vez em to te esperando la no blog moça

    BLOG:
    http://www.politicamenteincorreta.com/

    ResponderExcluir
  20. Olá Thais,

    Os meus olhos encheram-se de lágrimas e me deu uma vontade de te abraçar agora. Eu nunca passei por isso mas, existem muitos casos por aí como o seu e imagino como deve ter sido o convívio com o seu pai que na verdade não te considerava como filha. Porque um pai e uma vó com naipe temos mesmo que nos livrar mesmo que doa em nós.

    Um beijo,

    www.purestyle.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, o desprezo doi, mas também nos ensina muito... Muito obrigada por esse comentário lindo! Um beijo

      Excluir
  21. Sinto por um relação tão conturbada, seu pai não soube aprovitar a bea filha

    Beijos!

    EsmaltadasdaPatyDomingues

    ResponderExcluir
  22. great post
    Would you like to follow each other on GFC
    let me know and I follow back https://bysinkj.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Não deixe de curtir e acompanhar o blog pelo facebook: